Preloader

Impressão digital em vidro traz cores e descontração a projetos arquitetônicos

Os vidros coloridos têm um alto poder decorativo e são bastante explorados pelos arquitetos, trazendo mais vida aos ambientes e um visual mais descontraído e sofisticado ao mesmo tempo, eliminando alguns tipos de manutenção, como no caso de paredes que precisam ser repintadas e azulejos que acabam tendo o rejunte danificado mais rapidamente. 

 

Existem basicamente três técnicas mais comumente utilizadas para colorir as placas de vidro, a pintura a frio, a serigrafia e a impressão digital em vidro.  Na pintura a frio, apenas um lado das peças é pintado. Este tipo de vidro só pode ser um usado quando haverá utilização visível de apenas uma das faces, como tampos de mesa e revestimentos de parede, não sendo adequado para fachadas e divisórias. 

 

Teto colorido em shopping na Rússia

 

Centro comercial na Rússia explora as cores através da impressão digital em vidro

 

Porém, a pintura tem curta durabilidade e está mais suscetível a riscos. A vantagem neste caso é o custo. Com investimentos maiores e maior durabilidade há a serigrafia e a impressão digital em vidro, pois em ambos os casos a tinta se funde ao vidro e não sai ou risca. Na serigrafia, a placa de vidro recebe uma pintura de desenhos ou cores por meio de uma tinta especial, o esmalte cerâmico. 

 

No processo de fabricação do vidro serigrafado ou pintado a quente, a imagem que se deseja aplicar ao vidro é gravada em uma tela de poliéster e transferida para a peça de vidro, por meio de emissão luminosa.  Na sequência o vidro passa para um forno de têmpera, quando ocorre a fusão da tinta com o vidro, a uma temperatura que chega a cerca de 700 graus. 

 

Edifício na China com impressão digital em vidro

 

Depois disso o vidro não pode passar por mais nenhum processo. O vidro pintado pode passar por qualquer processo de beneficiamento, mas antes de ir para a têmpera. As características de transparência e translucidez, obtidas a partir de cores, resultam em proteção de 0% a 100% de cobertura da superfície do vidro, constituindo opção de sombreamento em fachadas e coberturas. 

 

Algumas das desvantagens do vidro serigrafado são a limitação de cor e de espessura do vidro a ser pintado, além de não poder pintar vidro curvo por este processo. Já a impressão digital em vidro é processo mais completo, que permite não somente a adição de cores diversas, com maus amplas opções, mas também de imagens e fotografias de todos os tipos.

 

Parede colorida com impressão digital em vidro em escola em Nova York, nos Estados Unidos

 

Podem ser impressas ao vidro grafismos, estampas, logotipos e até imagens exclusivas criadas na tela de um computador. A impressão digital permite imprimir fotos, desenhos e composições de artes em alta definição no vidro, em uma qualidade de impressão com resolução de até 360 dpis, o que não é alcançado em nenhuma outra técnica. As opções se estendem ainda à possibilidade do vidro ser utilizado como revestimento com texturas que imitam madeira, areia, tecido, pedras e mármore. 

 

A impressão digital consiste na reprodução das imagens no vidro, que imediatamente passa por um processo de têmpera, sendo aquecido e resfriado, fixando a tinta. O esmalte assim é queimado e vitrificado à temperatura de 600°C. A impressão é feita com tinta cerâmica e por todo seu processo de produção não perde sua tonalidade com a incidência solar, porque a cerâmica se funde ao vidro com a ação do calor, sendo ideal para ser utilizada em fachadas.

 

Conjunto de apartamentos com sacada colorida com impressão digital em vidro na França

 

A impressão é feita com tinta cerâmica e por todo seu processo de produção não perde sua tonalidade com a incidência solar, porque a cerâmica se funde ao vidro com a ação do calor. A impressão tem alta durabilidade, podendo permanecer intacta por mais de 50 anos. O esmalte vitrificável não desbota ou perde as cores com o passar do tempo, como acontece com os vidros decorados com tinta a frio.

 

 

Um destes projetos feitos com a técnica da impressão digital em vidro  é a colorida catedral na Nova Zelândia, com imagens religiosas impressas no vidros que formam um mosaico em diferentes cores. A fachada é composta por 49 painéis de vidro insulado 5+5mm.

 

 

Também formando um mosaico colorido com imagens impressão no vidro da fachada do Centro Acadêmico Carmel em Israel. O projeto do arquiteto Knafo Klimor forma uma caixa retangular de dois andares que contém salas de leitura, biblioteca e escritórios. Com design inovador, as 400 chapas de vidro receberam através do processo da impressão digital retratos de personalidades da cultura israelense. 

 

 

 

Posts